terça-feira, maio 10, 2005

Palavras de um poeta de raízes africanas

Apesar de já muita gente conhecer e de até ter feito parte de uma letra nusical, achei interessante colocar este poema aqui para alertar as pessoas para a problemática do racismo em Portugal e no mundo.
Meus caros irmãos,
Quando nasci eu era negro,
Agora cresci e sou negro,
Quando tomo sol fico negro,
Quando tenho medo fico negro,
Quando estou doente fico negro,
Quando morrer ficarei negro.
E você, homem branco
Quando nasce é rosa,
Quando cresce fica branco,
Quando toma sol fica vermelho,
Quando sente frio fica roxo,
Quando sente medo fica verde,
Quando está doente fica amarelo,
Quando morre fica cinza.
E ainda tem a cara de pau de me chamar de homem de cor?!

2 comentários:

dinorah disse...

Já conhecia, mas continuo a achar sempre imensa graça qd o leio!!
Fizeste muito bem em colocar aqui esta pequena chamada de atenção!
Um beijinho

Maresia disse...

Obrigada... Foi mesmo essa a minha intenção!